Postagem original em: Quarta-feira, Setembro 27, 2006

Quiseram os meus companheiros da ataca dar-me a honra de iniciar este blog. Sinto-me humildemente lisonjeado e vejo reflectido neste simples gesto a confirmação da sua grandeza de espírito e desprovimento para a vaidade que faz neles a diferença de carácter que os levou ao voluntariado e que me motivou a acompanhá-los neste projecto que nos leva a reflectir diariamente que os outros também são gente.

A ataca nasceu do sonho de alguns que acreditam que é possível ajudar os outros fazendo coisas simples mas indispensáveis, sem mediatismo mas com sustentabilidade, acreditando que é possível apostar na mudança de mentalidades e na disponibilidade para fazer bem aos outros.

Foi este o sonho que nos levou no dia 1 de Agosto, do presente ano, a criar a ataca, consolidando a experiência em África de alguns companheiros e dando-lhes força para continuar com a sua disponibilidade em prol dos mais desfavorecidos, fazendo-os acreditar que valeu a pena começar e que não podem deixar de acreditar no futuro.

Iniciamos a nossa actividade por Moçambique, país onde reside muita da experiência dos que criaram este projecto. Em Maputo e Quelimane temos protocolos com lares/centros de acolhimento de crianças que nos ocuparão nesta fase de arranque e consolidação da ataca e para onde já enviamos a nossa primeira voluntária. Seguir-se-á a campanha de apadrinhamento das crianças logo que esteja feito um levantamento exaustivo no local, que nos permita corresponder ao empenhamento dos tutores, com informações reais e periódicas das crianças apadrinhadas. A Formação dos nossos voluntários será outra das nossas grandes preocupações a que dedicaremos especial atenção, porque não basta querer ser-se voluntário, é indiscutivelmente necessário ter-se espírito de missão. Queremos que os nossos voluntários se sintam felizes no seu desempenho, dando aos outros o melhor de si mesmo, que conheçam a realidade social e cultural onde vão estar inseridos e tentar prepará-los para as exigências e modo de vida que vão encontrar.

Há um mundo de tarefas que temos pela frente que não fará esmorecer o nosso entusiasmo, antes pelo contrário, leva-nos a acreditar que é possível prosseguir com firmeza as nossas convicções, tantas são as portas amigas que se nos têm aberto, levando-nos a crer que valeu a pena ter tido coragem para começar e acreditar no futuro.

Porque acredito na honestidade intelectual do ser humano, desejo que este blog seja um espaço de enriquecimento para todos os que se dedicam ao Projecto ataca.

Fernando Durana Pinto

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.