Terça Feira
Ora combinada de encontro com a D.Teodora: 7h15 da MANHA!
Tudo pronto para partir. Acordamos cedo e cheios de energia. Mas surgiu nos um obstáculo para o caminho… lá fora caía um dilúvio, e os caminhos já não eram de terra mas de grandes rios de lama. Bem, nunca nos passou pela cabeça deixar de ir. Não temos medo de chuva. Mas as galochas tinham ficado a uns bons quilómetros de distancia, em Portugal! eheh!, portanto o que calçar?
O Tiago que já e pró nestas andanças, claro, que calçou a bela da sapatilha, mas eu e a Salete achamos que o melhor seria a bela da havaiana porque assim, a água como entra também sai.
Bem, não podem imaginar o que foi…Patinagem Artística pelas ruas de Quelimane. Gargalhadas estrondosas vindas das pessoas ao verem as nossas demontraçoes de piruetas e danças acrobáticas para tentarmos não ir direitinhos ao chao.
Ainda assim, de sapatilhas, o Tiago brilhou com com uma pirueta dupla mortal que quase o levou direitinho ao chão. Viva a lama! A chuva foi atenuando até que parou. Mas esta bricadeira até ajudou a ir passando os bons quilómetros que tem de ser percorridos para chegarmos as casas dos externos. Rimos-nos bastante no caminho de ida à conta das calças às bolinhas castanhas da Salete. Lembram-se do Eddy, o nosso pequeno amigo do machibombo.. bem ela estava parecida..eheh!
Chegamos ao primeiro bairro. Bairro de Coalane II. Aí visitamos logo bastante casas e foi muito positivo o que encontramos. As famílias tinham colocado as latrinas e pudemos tirar fotografias a elas bem como as crianças, para termos fotografias mais actuais. Como neste periodo não há escola ,devido ao recenseamento que esta a ser efectuado, encontramos sempre as nossas crianças em casa e pudemos conversar um pouco com elas e com as familias. Foi muito bom ver como estáo satisfeitas com as latrinas, que realmente melhoram em muito a qualidade de vida destas famílias.
Neste dia visitamos 9 casas. Ficam ainda muitos distante umas das outras mas foi muito interessante andar pelos bairros, cumprimentar as pessoas e conversar com elas. Estar mesmo no meio delas e perceber como vivem. Além disso, os bairros são muito bonitos aqui, com muita vegetação e limpos.
A verdade é que andamos perto de alguns quilómetros. Estávamos já de língua de fora e com o estomago a remoer bastante. A D. Teodora conseguiu uma boleia que nos trouxe para perto da casa. Foi delicioso acreditem!! Até porque o tempo já estava a aquecer e iamos diminuindo o passo.
Fizémos um almoço prático e rápido, descansamos um pouquito e estivemos a trabalhar as novas informaçoes recolhidas durante a tarde. Não houve energia para mais nada. Ficamos mesmo por aqui nesse dia. Convivemos um pouco com os miúdos aqui da casa e toca a dormir bem cedinho pois no dia seguinte a dose ia se repetir.

Rita

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.