A vida aqui em Quelimane continua… depois do maravilhoso jantar de despedida da Salete, na Quinta Feira, fui cedo para a cama porque no dia seguinte tinhamos que nos levantar cedo! Pela manha fui, juntamente com a Raquel, a Rita e a Irma Lidia, levar a Salete ao aeroporto. Mesmo não conhecendo bem a nossa alentejana a despedida não foi facil, custa sempre ver partir alguem que esta a fazer um trabalho como o nosso e reparar no peso que estas despedidas sem volta marcada tem nas crianças. Mas enfim… o trabalho continua e, se tudo correr como todos nos na ataca desejamos, estas crianças nunca estarao sos. Depois de deixarmos a nossa companheira e amiga fomos dar umas voltas com a Irma Lidia ate a hora do almoço e de tarde fomos fazer umas compritas ao mercado e fomos ao salao de Internet para publicarmos os nossos textos e fotos.

Enorme Sexta Feira

Sexta Feira foi um dia pesado. A alvorada foi as 7 horas para as 8 horas estarmos prontos para sair, juntamente com o Evaristo, rumo aos arredores da cidade de Quelimane onde iriamos fazer duas visitas a crianças abrangidas pelo PtaD mas que não passam habitualmente pela Casa Esprança, os chamados externos2. Logo pela manha deu para perceber que o dia ia ser quente, no entanto, fizemos nos ao caminho com a determinaçao de sempre. Foi cerca de uma hora e meia de caminhada a ritmo acelarado debaixo de um calor que se ia acentuando a cada minuto que passava… neste caminho tive a opurtunidade de observar uma realidade que ainda não tinha explorado nas minhas duas missoes anteriores, as zonas rurais nos arredores da cidade de Quelimane. Desde que saimos ate a casa do primeiro menino fui observando o meio que me envolvia e reparei que havia uma clara gradaçao, primeiro as estradas alcatroadas que deram lugar as de terra, depois as casas que deixavam de ter o tijolo e o betao em troca com os paus, pedras e chapas e por fim a quase total inexistencia de electricidade numa paisagem natural com muita vegetaçao e casas que não ofendem minimamente a paisagem. Fantastico para mim… não sei se assim tao fantastico para quem la vive! Depois de concluido o trabalho regressamos a casa debaixo de um calor ainda mais intenso e esgotante. Depois de um bom e merecido banho e de algum trabalho de computador em casa almoçamos e fomos ao centro da cidade tratar de uns assuntos burucraticos acerca do visto da Rita. O fim de tarde e inicio de noite foi bastante agitado aqui em casa… se primeiro foi o pequeno Inocencio que chutou no chao em vez de chutar na bola e nececitou de um curativo no dedo do pe feito pela Raquel, que tem sido a nossa enfermeira de (muito) serviço, depois foi o Pedrito que abriu o sobrolho e desatou num enorme berreiro. Mais uma delicada operaçao de trabalho psicologico e medico resultou, depois de alguma tensao, numa criança feliz e… muito tempo perdido! Jantar e cama…

Domingo de praia…

Para domingo estava reservada uma ida a praia de Zalala com os mais pequeninos para celebrarmos em conjunto o fim das ferias e o inicio do terceiro trimestre. Eles proprios fizeram a comida deles em duas enormes panelas, uma com arroz a outra com carne, e vestiram um dos seus conjuntinhos de cerimonia para um grande dia de passeio e brincadeira. Para a praia deslocamo nos num chapa de um conhecido que nos fez um preço porreirinho e veio nos buscar mesmo a portinha. Um atraso habitual para um moçambicano de gema e o quebra cabeças de arrumar cerca de 30 miudos num chapa de 15 lugares fez nos sair de casa com algum atraso mas com muita felicidade e alegria. Muitos buracos na estrada e muita falta de espaço foram compensados com muita musica, alegria e vontade de chegar a praia. Mal pousamos as tralhas na areia fomos tumar um enorme banho na agua quente do mar que se prolongou por largos minutos… adorei ver a felicidade estampada no rosto dos nossos pequeninos e adorei estar com eles na agua a dar saltos e mergulhos. Antes do tao esperado almoço ainda deu tempo para jogar futebol e rebolar na areia debaixo de um grande calor. A saida estava marcada para as 16 horas, so que… alem do habitual atraso (outro) do nosso motorista ouve tambem uma enorme zaragata entre ele e uns sujeitos bebados que alegavam que ele lhes devia dinheiro. Ameaças, documentos do carro de um lado po outro, chaves pelo ar e muita labia fez nos sair da chapa com os miudos assustados e fazer ao caminho a pe em busca de outro meio de transporte, que aquela hora já não existia! Para sorte nossa a situaçao foi desbloqueada com a juda da policia local e podemos regressar já ao anoitecer a casa na mesma chapa. Os pequeninos estavam tao estourados que a maior parte dormiu a viagem toda. No final deste passeio de domingo podemos dizer, felizes, que grande dia!

Brevemente as duas meninas irao deixar aqui os seus testemunhos. Ate la.
Cumprimentos, Tiago Durana Pinto
2 Responses to A vida continua…
  1. A ideia deste blog foi óptima porque permite acompanhar o vosso dia a dia e rever-vos nas fotos que o ilustram, contudo a pedra de toque que nos permite avaliar o teu estado de espirito continua a ser o "estou feliz" que escutamos nos teus contactos telefónicos. Nós também estamos felizes por ti.
    Cumprimentos para todos e continuação de bom trabalho.

    Pai

  2. É fantastico saber que vocês estão bem e que o trabalho está a correr de vento em popa..

    Um abraço

    Pedro Miroto


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.