Os dias aqui parece que passam a voar e de dia para dia vai-se adiando a escrita no blog… Para mim esta a ser uma experiencia única e um pouco diferente do que imaginava, o que já me leva a acreditar na frase que me foi dita: “em moçamique tudo pode acontecer e nada e garantido”. As crianças são fantasticas e e’ optimo estar com elas, mas tenho vindo a notar que tambem aqui há entre eles inveja, ciume e insatisfaçao! Temos tido que lhes mandar uns berros para os por na linha senao e impossivel manter a ordem e o respeito! Os mais pequenos andam sempre a bater uns nos outros e a arranjar confusao… No entanto, e como e’ obvio, a ternura propria de serem crianças juntamente com a falta de mimo e atençao que infelizmente tem, da vontade de os levar todos connosco para portugal e fazer deles as crianças mais felizes do mundo.. mas não sei ate que ponto isso os iria fazer mesmo felizes…

Quando ca cheguei deparei me com uma enorme quantidade de doentes para cuidar e por em pratica os meus conhecimentos de enfermagem! “tia, tenho firida!” Todos se magoam, desde os mais pequenos aos mais velhos, e tem fridas para cuidar todos os dias, tendo que ser este meu trabalho prestado muito personalizado, de acordo com as personalidades de cada um. Nas crianças descobrimos todos os tipos de personalidade e todos os estados de espirito com que temos de conseguir lidar.. confesso que tem sido um ”estagio” intenssivo que estou a adorar!
O calor já começa a ficar insuportavel e as visitas aos externos tornam-se mais cansativas e abrasadoras, mas as paisagens dos percurssos e a agua de coco ou a coca-cola que bebemos pelo caminho acabam por compensar o calor que e’ muito… mas todo este esforço e’ altalmente compensado pelos optimos almoços e jantares de que temos sido vitimas, nunca comi tanto como aqui!
As aulas por ca ja recomecaram e consequentemente o tempo que passamos na casa esperanca ja e’ ocupado essencialmente com as explicacoes e a ajuda que lhes damos nos trabalhos de casa. Depois disto, os mais pequenos tem de tratar de regar as plantas e vao algum tempo trabalhar para a machamba (horta), tudo isto com muita brincadeira a’ mistura!
Escreverei brevemente… Beijinhos para todos!
Raquel Pinho.
One Response to Os dias vao passando..
  1. Olá "Tia Raquel que trata firida"!
    Esse é o estágio que ninguém vê e ninguém avalia, que passa ao lado do Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado, pomposamente criado pelo D.L. Nº 389/99 que se limita a pouco mais que passar cartões de voluntário para além de empregar uns quantos amigos. Mas é o país que temos …
    Vejo que estás feliz nessa terra que também é tua por descendência e onde quiseste deixar um pouco da tua generosidade e amor. Espero que a expectativa com que partiste seja plenamente correspondida pela experiência que estás a viver.
    Um beijo.
    Durana


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.