Agora e mesmo o momento.A ultima contagem decrescente.Sao 6 e 20 da manha.Dentro de umas 15 horas estou a voar para Maputo, deixando Quelimane continuar a sua vida, na sua tranquilidade e paz normal.Pensar que e o ultimo dia em que acordo com os meninos a cantarolar, a brincar e a gritar, aperta-me o coraçao.Deixa me nostalgica.Porque afinal, os 2 meses voaram.
A minha ultima semana aqui foi o culminar da felicidade aqui vivida.O trabalho esta agora terminado.As informaçoes estao trabalhadas.O meu dever esta cumprimido.Tenho a certeza que dara frutos.Que foi extremamente importante,e valeu a pena.Da mesma forma que tive o privilegio de assistir a muitos dos frutos plantados pela nossa primeira voluntaria, Barbara, tenho a certeza que eu ou se não eu, quem vier aqui trabalhar a seguir assistira tambem ao desenrolar do que aqui foi plantado nesta missao de 2007, aqui em Quelimane.
Ontem quando cheguei a casa, apos um passeio com a Irma Lidia, onde fui capatar as ultimas imagens do por do sol mais bonito do planeta, onde a luz e mais do que luz, e o sol brilha mais do que em qualquer outro lado, ouvi os ”meus meninos“ a ensaiar as musicas que me vao cantar hoje bem como as danças de despedida.Estao a preparar-me uma surspresa!Nao contive a tristeza que em inundou ontem.E um aperto gigante no coraçao e na alma por ter de partir agora.Levo todos eles no meu coraçao, todos os meninos da Casa Esperança, todas as familias e as mamãs que tao bem me receberam, todos os amigos que pela cidade fiz,as Irmãs que tao bem me trataram e acarinharam-Irmã Lidia, Irmã Isabel, Irmã Pilar e Irmã Florencia.O Evaristo que foi um colaborador incansavel, um apoio fundamental no terreno.
Enfim, penso que, embora ainda sendo muito nova tenho a certeza que vivi a experiencia da minha vida.Tenho a certeza que aprendi aquilo que não se aprende em mais nenhum lado.Porque Africa e Africa.Nao se explica, não se compreende, não se entende.Vive-se.Vive-se tao intensamente como em mais nenhum lado.Como dizia uma grande amiga minha que aqui fiz.“Nao custa viver, custa saber viver”!E aqui encontrei pessoas, que com as maiores dificuldades, as maiores contrariedades, as maiores externalidades negativas sabem realmente viver.Um dia de cada vez.Aproveitam aquilo que a vida da, ate ao ultimo momento do sol.
Não tenho palavras para descrever tudo o que levo daqui, na alma e no coraçao.Mas o rosto de cada um vai comigo na mala.O riso de cada um esta comigo tambem.O amor que aqui me deram, esse aumentou-me o coraçao de uma forma gigante.Porque e um amor e carinho incondicional.
VALEU A PENA!Todo o trabalho e esforço, todas as explicaçoes, todas as caminhadas e visitas,todas as aulas de leitura, todas as idas a escola, todas as conversas pela noite fora,TUDO.
Sei que um dia terei de voltar.Numa proxima vez, um dia quem sabe.”Porque cada um e eternamente reponsavel por aquele que cativa“.Sinto-me agora responsavel por cada um deles, e sei que eles tambem o sentem por mim.

Não posso deixar de agradecer a todos os membros da ATACA, pelo trabalho maravilhoso, verdadeiramente util e especial que fazem com toda a dedicaçao do mundo.Especialmente ao Fernando Durana Pinto, que sei que partilhou ao longe todos estes momentos.
Aos meus companheiros de missao que já se encontram em casa, todos os momentos partilhados e a ajuda indispensavel,tambem com eles aprendi muito!A Irmã Lidia e a todas as Irmãs, que me fizeram sentir ainda mais em casa.Deram-me uma protecçao tremenda, um carinho incansavel, e especialmente com a Irma Lidia, aprendi mesmo muito.
Aos companheiros de Maputo, com quem não me cruzei nesta missao mas que sei, com certeza partilham da mesma nostalgia da partida que eu tambem sinto agora, ao fazer a mala.

Aos “meus meninos” com quem vivi 24 horas ao longo destes 2 meses, que me ensinaram a sorrir como eles, que me mostraram a coragem da vida e o sabor que a vida pode ter.Pensarei neles todos os dias.

A minha familia que tanto me ajudou para conseguir vir.Para quem sei que não foi facil a todos os niveis, mas que no fim me apoiaram incondicionalmente, e com quem partilhei todos os momentos desta minha missao.A todas as pessoas especiais com quem partilho a minha vida.Porque sei que tenho a sorte de ter comigo pessoas especiais que me rodeiam.

Muito Obrigada a ATACA,pelo apoio, pela missao, pelo trabalho.
Como dizia alguem, ”Africa, primeiro estranha-se, mas depois entranha-se“.
Estou realmente entranhada de tudo o que ha de mais belo e mais puro no mundo.
Não sera nunca um Adeus, mas sim Ate Já.

2 Responses to Adeus….Ate Ja..
  1. Rita,
    Não resisto em deixar um comentário breve, com a certeza que voltarei para reler a tua experiência… (já vou atrasada para as aulas!)… e deixar um comentário como deve de ser…
    Até já.

  2. Palavras FANTASTICAS!!!
    Beijo e muitos Parabens.
    Xico


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.