Há sempre alguém que nos diz “tem cuidado”,

Há sempre alguém que nos faz pensar um pouco,

Há sempre alguém que nos faz falta,

Há…

Saudade!

Os velhinhos Trovante ecoam nas noites mal dormidas de calor e calor e calor…A Casa Esperança é a minha casa, mas há sempre a outra, do outro lado…ai, saudade! Isto de ser português…

E a história por cá reza assim: de volta ao trabalho significa estar de volta à bicicleta (agora duas, que a tia Sara já tem uma!) e aos bairros, desta vez a visitar os nossos internos ainda de férias. Descansem, tias, estão todos bem!

Há sempre documentos de crianças a tratar, situações mais ou menos complicadas a resolver…mas aqui as tias são teimosas e a ritmo Zambézia tudo se vai fazendo.

Temos cá a Dina e o Pedro que vieram para ficar! São uns tugas à maneira e temos conversado muito sobre a vida em Quelimane e o que há para fazer…Também voltou a Andréa das suas merecidas férias e, pouco a pouco, a cidade vai voltando ao ritmo normal, com os que estavam fora a regressar e o Saima reaberto para o nosso tão desejado café e as famosas natas.

E tenho já meio ano de “moçambicana”…é isso mesmo, já passaram seis meses e continuo por cá, agora com um português ligeiramente diferente, mais torrada do sol, cada vez mais “globalizada”.

E como diz a música: “Doa a quem doer, mamã, moçambicano dança!” Como já sou um bocadinho de cá…vou dançando e vendo onde me leva este ritmo de vida tão diferente de tudo a que estava habituada.

Estão a voltar os meninos à Casa Esperança! Já nos acordam pela manhã, já há novamente barulho no salão…vai começar um ano daqueles!

É uma felicidade ver o regresso dos miúdos: de cada vez que chega um, todos os outros ficam animados. A Tia Sara ouve, à noite, as conversas de quarto: “este já chegou, aquele também, o outro ainda…”. Mais do que nunca, sentimos a Casa Esperança como uma família.

Notícia de última hora: o Nando tem dois dentes a crescer e o Chico ficou sem um! Estão a crescer…

E a Casa está um luxo: jardim arranjado, com bancos para “namorar” (o primeiro que apanharmos vai ter direito a foto!); machamba cheia de milho, graças ao empenho do mano Latifo durante as férias…tudo a rolar.

E voltamos assim à secção dos putos. Vamos lá recordar: até agora falamos do Chico e do Nando, do Quinho e do Inô, do Maiquel e do Paítinho, do Isac e do Atanásio, do João e do Latifo.

Falo-vos hoje do Inácio e do Juma.


“Inácio?”, “Tia?”, “Inácio?”, “Tia?”…e posso estar assim o dia inteiro! A brincadeira aprendeu com o Tio Raul e nunca mais esqueceu. Este puto é muito esperto, muito organizado no seu cacifo, muito independente…e se calhar por isso muito animadinho nas asneiras também. Este ano vai ter que se aplicar muito na escola para compensar o ano anterior.

O Juma é o nosso escritor, contador de histórias e leitor mais aplicado. Ele não lê: devora livros, de tal forma que no início desconfiei e comecei a fazer perguntas dos livros que entregava. Pois…ele sabia muito bem o que tinha lido! Às vezes é preciso resmungar e não deixar que leia à noite já que a luz não ajuda.

Escreve muitas histórias que inventa e gosto de pensar que um dia este puto vai aparecer na lista de escritores moçambicanos conhecidos…era nice…

Perguntaram-me os dois para que queria eu a foto. Expliquei-lhes o que pretendia fazer e pediram para acrescentar: ambos gostam muito de estudar, jogar à bola e brincar com carrinhos.

E pronto, estão contadas as novidades. Resta-me agradecer às tias Tita e Mena pela visita à família Coelho e finalizar com duas tristes situações: as mangas e os ananases estão a acabar e o calor continua insuportável.

And that’s all, folks! 

Tia Paula e Tia Sara em diferido de Quelimane

 

 

2 Responses to Há sempre alguém que nos diz “tem cuidado”
  1. Ai, Saudade…
    Agora tb eu tenho essa música na cabeça!!!

    Em primeiro lugar quero dizer-vos que vos admiro muito: Paula e Sara! Já vos disse pessoalmente, mas aqui fica o registo!

    Os meninos são fantásticos! São meninos, crianças, iguais em qualquer lado do mundo!!
    Ah e claro, estou fã do mano Latifo e dos seus colares fantásticos!!

    Beijos
    dina

  2. Olá, tias. Não há duas sem três. Espero desta vez não comentar em duplicado. Convenci-me que o primeiro não tinha ficado…
    Feliz por vos ler de novo! Mas soube a pouco. Curto!
    Bjos


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.